abril 01, 2006

Besta

Há muito tempo que eu não escrevo um texto. Estava morrendo de saudade. Hoje, depois de ter feito três trabalhos de uma vez só, tenho meia hora pra pensar sobre algum assunto pra escrever e...escrever. Todo o dia tem alguma idéia na minha mente, mas quando abre essa oportunidade única, parece que todas essas idéias desaparecem.
Não é pra menos já que estou sendo uma multi uso em ação. É inevitável, mas estou orgulhosa de mim mesma. Estou conseguindo conciliar tudo e com todos. Tenho tempo pros amigos, pra faculdade, pros trabalhos e provas escolares, pro namorado, pra família, pro escritório e corrida um dia sim, um dia não no calçadão na praia.
Ontem, recebi uma notícia que só faltava pra completar a minha felicidade: vou estudar outra língua. E o melhor: de graça. Estudarei alemão como eu estava querendo mesmo, toda quinta-feira no horário de almoço do meu trabalho. O curso de inglês eu faço depois da faculdade. Sim, estou fazendo plano.
Outra coisa que está enchendo minha bola é aproximação que eu e André retomamos. Ele é um amigo meu das antigas, mas a gente sempre se aproxima e se afasta, aproxima e se afasta. Mas uma coisa é certa: a gente nunca deixou de ser verdadeiros amigos, desde que admitimos que éramos um pro outro. Na verdade nunca deixamos de ser antes mesmo de admitir, mas pra ser uma menina politicamente certa, vou abrir esse espaço.
Porém, como tudo e nada nessa vida é perfeito, estou a mil, comendo unha e super nervosa com um sentimento que eu considero um dos piores: a desconfiança. Estou desconfiada de certas coisas que eu não deveria estar. Não queria estar sentindo isso, mas algo pesa, e muito, na minha cabeça. Estou me sentindo podre por dentro e algo me diz que eu tenho algo a fazer. Pena que não me diz o que exatamente.
Mas tenho uma pista. E essa pista tem relação com meu coração. Ele continua machucado. Ainda não sarou de vez. Eu ainda sinto medo, calafrio, choro algumas noites e tenho lembranças que não deveriam bater de frente comigo.
Certas coisas são tão persistentes que são tão difíceis de tirar, que pensamos até em desistir.
Ô sentimentos bestas.

5 comentários:

ane disse...

Olá pessoa. =).
Claro que posso ajuda-la... perdão pela demora para responder. =).
Sabe né? Estudos não me diexam em paz (e agradeço até por isso)

Mas... só me dizer com mais detalhe como posso ajudar diretamente, mesmo indiretamente.

Escreves muy bien. =).
Bjo bjo.. té mais.

Thiago Quintella disse...

Ou nenhum, ou todos sãosentimentos bestas! Também entro nessas angústias quando faço trabalhos; e o melhor é escrever ou ler um conto ou romance, a cabeça desanuvia... ou vem mais dúvidas!
Auf Wiedreshen!

m disse...

Nossa, qtass coisas em comum... Também faço jornalismo. MAS estou me formando este ano. Também faço alemão, há 1 ano... Gsotei de teu blog, passarei mais vezes! bjos

Bourbon prá dois disse...

Ei Nana
Entendo muito bem esse papo de não ter tempo. Quero formar logo prá ver se eu arrumo exatamente isso, tempo. Pelo menos um pouquinho só prá mim.

E me fala uma coisa, desde quando sentimento, seja qual for, é besta?
Bjs

Rafael

Taty disse...

Nana, é verdade, eu pelo menos trabalho numa biblioteca. Mas não tenho tempo de ler os livros contidos nela. =(
Lindo seu blog, tá de parabéns. Desconfiança é foda, mas tenta matar isso antes q aumente. Depois não dá pra voltar atrás. Com o tempo leio mais de vc, bjs!