setembro 04, 2011

frio.

O corpo não é mente que mente pra si. O coração não é pedra, mas machuca. A estrada não é longa, mas distante. Se vejo o aqui e o agora, sei não. Você está na esquina vendo o lá, sem chão. Penso, paro, vejo e sinto: quando não está aí pra mim. Daí, partindo desse aí, é que nasce o medo, amargo e brutal.

9 comentários:

Carol Ornellas - Caronella disse...

não gosto assim :(

Aislan disse...

muito bom texto viu Nana,
simples e bom.
também tenho um blog
pode espiar se quiser
http://pensamentosloucospensamentos.blogspot.com/
tudo de bom para você!!!!!!!

Daniel disse...

"Pedra" e mente são voláteis. Difícil mesmo quando misturam.
Gostei. =]

Fonseca Lima disse...

Não receie o medo. Ter medo assusta a alma que nada receia. Naquela esquina onde você o vê, foi por onde ele se esgueirou. Ficou apenas o seu coração que não é de pedra nem se machuca...batendo, batendo!

Manoel Carlos

Robson Araújo disse...

talvez o medo ja esteja "embutido" em todos, ele só aflora e tenta ser mais forte que a força.gostei do blog,:D e desculpa a intromissão.rs

Nelson Tetti disse...

As vezes é muito bom ficar vagando pelos Blogs... adorei o texto . Até mais !!

Cicero Super disse...

Sinto frio, pois voce nao esta comigo,

Carlinhos Horta disse...

Gostei da intensidade do seu texto. Interessante! Parabéns...

http://escondidin.blogspot.com/

Mademoiselle dans les nuages disse...

bonito texto, nana! :)