fevereiro 15, 2012

"A vida me ensinou a dizer adeus às pessoas que amo, sem tirá-las do meu coração". Charles Chaplin

É tão estranho quando eu começo a pensar na minha vida. Nas pessoas que se passaram por ela. É tão mais fácil pensar na vida dos outros; julgar, elogiar, compartilhar...Mas quando pensamos na nossa própria vida não conseguimos nem comentar. Acredito que na minha vida não tenho muitos problemas. Tenho compromissos. Por enquanto tenho boa saúde, tento preservar as amizades, tenho um ótimo namorado, tenho uma família fortalecida, unida e cheio de amor, estudo ainda, fazendo o mestrado na UFES, enfim...são coisas deliciosamente boas. Sabe o que eu descobri? Que eu não me sinto bem quando eu fico uns três dias sem ver meus amigos: fico em casa estudando e não aparece ninguém. Isso é ótimo por um lado, já que se eu estou estudando, o melhor é ficar sozinha. Mas, eu me entendo. Eu odeio ficar sozinha. Eu me sinto mal. E nem estudar eu consigo. Preciso de alguém ao meu lado. Mesmo que não estude a mesma coisa que a outra pessoa. Alguém tem que estar ali. E eu disse três dias, porque se passou disso e eu não vi ninguém, saio correndo em busca de alguém. E, graças a Deus, amigos não me faltam. Por que então essa citação acima? Porque nessas reflexões sobre a minha própria vida....eu pensei nas pessoas que eu disse adeus. Independente do motivo. Ex namorados, amigos, enfim. Pensei, em primeiro lugar, na minha amiga Mayara. Já brigamos duas vezes bem sério. Na segunda achei que nunca mais fosse falar com ela. Mas eu sempre a amei. Desde que nos conhecemos o amor falou mais alto. E eu não consegui tirá-la do meu coração. Senti saudade, senti sua falta. Hoje voltamos a amizade e espero que nunca mais precise lhe dizer adeus. Um pouco parecido aconteceu com minha outra amiga, a Carol. Ela que nada me fez de improbidade. Nunca brigamos, nem sério, nem de brincadeira. Mas nos afastamos. Quando descobri também que a amava e, também, nunca consegui tirá-la do meu coração. Existem aquelas situações da vida que tínhamos que dar adeus para nossos companheiros, que nos declaramos abertamente o quanto amamos, o quanto queremos tê-los por perto pra sempre. O tempo passa e a gente descobre que o amor que nós sentíamos era puro, viraríamos amigos. Tínhamos tudo pra ser melhores amigos, o B.. Por isso, eu digo, ainda, que não o tirei do meu coração. De uma forma diferente, bem sei. Digo “tínhamos”, porque não somos. A vida tem esses percalços. Administrar, saber do que está fazendo, manter a cabeça no lugar, não julgar..é o mais difícil. Por isso, talvez, não somos amigos, mesmo já se passando oito anos. Achei essa citação muito boa e acabei me descobrindo mais um pouquinho. E é por isso que a vida tem graça, cheia de mistérios e sentimentos.

5 comentários:

Raquel Lima disse...

Amiga que texto lindo!!! As vezes eu tambem paro para pensar nessas pessoas que deixamos para tras mas nao esquecemos. Mas esse nao e o seu caso! Apesar de nem sempre juntas, quando a gente se encontra parece que nada mudou. EU amo voce, muito, demaaaaais ! Nao esqueca de reservar o dia 10 de novembro para o meu casamento viu?! Beijos

Mimo Pink disse...

Oi gostei muito do seu blog e estou seguindo, se puder dar uma olhadinha no meu, esta bem no começo, ainda não tenho muitos post,mais me ajudaria muito se vc me seguir ou falar o que achou dos posts.
Parabéns pelo Otimo blog!

COLABORADORES disse...

=)

Marta disse...

Parabéns pelo Blog! Já sou seguidora.;)

Silvana Hennicka. disse...

Você escreve coisas que vem da alma, assim como eu faço quando me sinto sozinha. O Pedaços de Minha Memória é hoje o meu refúgio, é pra lá que eu vou quando estou sozinha e com saudade "dele". É um aprendizado diário de superação. Saber que preciso seguir em frente, mas que ao mesmo tempo a saudade se tornou uma corrente que me puxa sempre pra traz e não me deixa superar o passado.
Virarei sua seguidora e gostaria que você visse os textos melancólicos que escrevo e desse a sua opinião! http://paraseduzir.blogspot.com.br/

Silvana Hennicka